Array

CRISE? Pezão foi cuidar da saúde em SPA de R$ 8 mil por semana

PUBLICADO EM

No comunicado anunciando que o governador Luiz Fernando Pezão iria se licenciar do cargo por uma semana (de 16/07 a 23/07), o Palácio Guanabara explicava que o chefe do executivo fluminense se afastava temporariamente “devido a problemas de saúde, relacionados ao seu quadro metabólico (descompensação do diabetes, aumento de peso, entre outros)”. Entretanto, em nenhum momento a nota oficial fez menção ao fato de Pezão se hospedar em um SPA de luxo, em Penedo, cuja diária é superior a R$1 mil.

- Publicidade -

Uma semana no SPA Rituaali, onde Pezão está hospedado, custa R$ 8.716, segundo informações dos funcionários. Apesar de o Palácio Guanabara, em novo comunicado, informar que “o tratamento será pago pelo governador com recursos próprios, sem qualquer benefício”, o valor é muito alto até para Pezão, cujo salário é de R$ 19 mil brutos.

“Isso é um esculacho. Imaginamos que, devido à doença, ele se internasse em um hospital. Mas, ele se hospedou num SPA! É uma total falta de respeito com os servidores, que estão sem receber os salários, e com a população, que está sofrendo com essa falta de governo”, reclamou o diretor do Movimento Unificado dos Servidores Públicos (Muspe), Ramon Carrera.

Contudo, esta não é a primeira vez que Pezão desfruta das mordomias do SPA Rituaali. No ano passado, Pezão passou quatro dias de Carnaval no elegante estabelecimento e pagou a despesa com um cheque de R$ 3 mil. O SPA Rituaali tem entre seus sócios o empresário Marcos Trindade, que também é sócio da empresa de comunicação FSB, que mantém contratos com o governo do Rio. Tentamos, sem sucesso, contato com a empresa ontem, à noite.

Para a auxiliar de enfermagem aposentada, Mariá Casa Nova, 66 anos, que prestou serviço no Hospital Getúlio Vargas, Penha, por 36 anos, o dinheiro que Pezão pagou no SPA praticamente resolveria seus problemas financeiros.

“Fiquei três meses sem receber salário, sem pagar aluguel e condomínio. Tive a luz cortada. Para não passar mais privações, comecei a fazer amendoim para vender nos sinais e em eventos, porque preciso de 11 remédios por dia”, contou Mariá. Os R$ 550 que ela recebeu, gastou comprando remédios também, para o marido, que a exemplo de Pezão, luta contra um câncer. Eu vivo vida de cão, com a geladeira vazia”, desabafa Mariá, enquanto chora.

- Publicidade -

Fique por dentro!

Para ficar sabendo de tudo que acontece em Campos e região, siga o nosso instagram @ClickCampos

ÚLTIMAS NOTÍCIAS