Coreia do Norte diz que Putin expressou vontade de visitar país em breve

PUBLICADO EM

Vladimir Putin comunicou a intenção à ministra dos Negócios Estrangeiros norte-coreana, Choe Son-hui, durante uma visita da responsável à Rússia entre 15 e 17 de janeiro, indicou a KCNA.

- Publicidade -

A visita de Choe a Moscou, que incluiu reuniões com o homólogo russo, Sergey Lavrov, e com o vice-primeiro-ministro, Alexander Novak, ocorreu “numa altura em que as relações de amizade e cooperação entre os dois países entraram definitivamente no curso de um novo desenvolvimento integral”, afirmou ainda a agência estatal.

O regime norte-coreano garantiu ainda que as duas nações “aprofundaram a comunicação estratégica” e se comprometeram a reforçar a cooperação tática “para defender os seus interesses fundamentais e estabelecer uma nova ordem internacional multipolarizada baseada na independência e na justiça”.

Rússia e Coreia do Norte expressaram preocupação “com a influência negativa dos Estados Unidos e aliados”, que “ameaçam o ambiente de segurança na península coreana”.

Entre outros pontos, Pyongyang elogiou a “importante missão” da Rússia de servir para manter a “estabilidade estratégica” a nível global, tendo Moscou mostrado “profundo apreço” pelo apoio “total e solidário” da Coreia do Norte à operação militar especial na Ucrânia, eufemismo de Moscou para se referir à invasão russa do país vizinho, que começou em fevereiro de 2022.

A visita de Choe aconteceu depois de terem sido divulgadas novas provas de que a Coreia do Norte e a Rússia concordaram em cooperar militarmente durante a cimeira de setembro entre Kim e Putin.

A Casa Branca acusou a Rússia de ter disparado recentemente mísseis balísticos norte-coreanos contra a Ucrânia, somando-se aos já utilizados nos ataques de 30 de dezembro e 02 de janeiro. Mas Pyongyang e Moscou negam a transferência de armamento.

Especialistas disseram acreditar que o regime norte-coreano recebeu assistência técnica russa no lançamento do primeiro satélite de reconhecimento militar em novembro passado.

A Coreia do Sul estima que o número de contentores — com mísseis balísticos, lançadores e centenas de milhares de munições de artilharia — transferidos desde o verão pela Coreia do Norte para a Rússia ultrapassa já os cinco mil.

Leia Também: Visto de permanência de brasileiros e chineses passa para dez anos

- Publicidade -

Fique por dentro!

Para ficar sabendo de tudo que acontece em Campos e região, siga o nosso instagram @ClickCampos

ÚLTIMAS NOTÍCIAS