Milícias apoiadas pelo Irã atacam com drones base dos EUA na Síria

PUBLICADO EM

Milícias iraquianas apoiadas pelo Irã atacaram uma base norte-americana localizada no campo petrolífero de Al Omar, no leste da Síria, conforme relatou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

- Publicidade -

A base na província de Deir Ezzor foi alvo de um ataque de drones na quinta-feira, desencadeando disparos da defesa aérea. Até o momento, não foram registradas vítimas ou feridos, indicou o OSDH, sediado em Londres.

Também na quinta-feira, um grupo de helicópteros norte-americanos cruzou a baixa altitude o espaço aéreo do rio Eufrates, que separa o território controlado por essas milícias. Após o ocorrido, explosões foram ouvidas na cidade de Abu Kamal, na fronteira entre a Síria e o Iraque, segundo fontes no local.

Horas antes, o secretário da Defesa norte-americano defendeu ser hora de desativar “ainda mais” as milícias apoiadas pelo Irã que atacaram forças e navios dos Estados Unidos no Oriente Médio, sugerindo preparação para “operações de grande envergadura”.

Lloyd Austin acrescentou que os Estados Unidos estão se preparando para tomar medidas significativas, principalmente em resposta à morte de três militares norte-americanos na Jordânia, em um ataque de uma milícia pró-iraniana à instalação conhecida como Torre 22.

Os Estados Unidos têm indicado nos últimos dias a iminência de ataques. Embora a ameaça de retaliação pelas mortes de domingo tenha levado alguns grupos militantes a afirmar que estavam cessando as hostilidades, os rebeldes Huthis do Iémen dispararam, na quinta-feira, um míssil balístico contra um navio porta-contentores de bandeira liberiana no mar Vermelho.

“Agora, chegou o momento de retirar ainda mais capacidade àquilo que retiramos no passado” das milícias, disse Austin, na primeira conferência de imprensa desde que foi hospitalizado em 01 de janeiro devido a complicações no tratamento do câncer de próstata.

Os anteriores ataques dos Estados Unidos, apoiados pelo Reino Unido, não impediram que os Huthis continuassem a lançar mísseis e ‘drones’ (aeronaves não tripuladas) contra navios no mar Vermelho.

Desde o início da guerra entre Israel e o movimento islamita palestiniano Hamas, a 07 de outubro, grupos de milicianos apoiados pelo Irã atingiram bases norte-americanas no Iraque e na Síria pelo menos 166 vezes com foguetes, mísseis e ‘drones’ de ataque unidirecional, atraindo cerca de meia dúzia de contra-ataques norte-americanos a instalações das milícias nos dois países.

Os Estados Unidos atribuíram o ataque na Jordânia à Resistência Islâmica no Iraque, um grupo de milícias apoiadas pelo Irã que inclui o grupo militante Kataib Hezbollah.

Teerã negou qualquer envolvimento.

“Mas isso não tem importância porque o Irã patrocina esses grupos”, resumiu Austin, na quinta-feira, destacando que “sem esse apoio” os ataques não seriam possíveis.

Leia Também: Avião de pequeno porte cai em área residencial na Flórida; há mortos

- Publicidade -

Fique por dentro!

Para ficar sabendo de tudo que acontece em Campos e região, siga o nosso instagram @ClickCampos

ÚLTIMAS NOTÍCIAS