A nova vida de Elisabeth Fritzl, mulher que foi escrava sexual do pai

PUBLICADO EM

Em 2008, o mundo se chocou com a história de Elisabeth Fritzl, uma mulher que passou 24 anos aprisionada na casa onde vivia, sofrendo sucessivos abusos por parte do pai, engravidando dele pelo menos sete vezes.

- Publicidade -

Quase 16 anos após a descoberta do caso, Elisabeth, agora com 56 anos, vive sob uma nova identidade na mesma localidade onde nasceu e cresceu, na Áustria.

Coincidentemente com a recente libertação do pai, que poderá ser integrado em um lar nos próximos meses, o Daily Mail revela detalhes sobre a nova vida da vítima.

Elisabeth e seus filhos possuem novas identidades. Ela se casou com John, o segurança que a protegia após o caso se tornar público. O casamento, em 2019, teria lhe dado a força necessária para retomar sua vida.

A mulher reside em uma casa de dois andares a 30 minutos de Amstetten, com o exterior da casa monitorado por câmeras de segurança que registram todos os visitantes.

Embora tente manter uma vida discreta, sabe-se que ela janta fora ocasionalmente e participa de atividades na região. “Todos sabem seu passado, mas ninguém fala sobre isso”, relata um vizinho.

Relembrando o caso:

Josef Fritzl manteve a filha Elisabeth em um cativeiro subterrâneo por 24 anos. Ele a violou mais de 3 mil vezes, resultando em sete filhos entre 1984 e 2008.

Os crimes só foram descobertos quando uma das filhas, Kerstin, entrou em coma e ele foi obrigado a levá-la ao hospital. A condição de Kerstin despertou a atenção dos médicos, que alertaram as autoridades.

Ao sair do cativeiro para visitar Kerstin, Elisabeth contou à polícia tudo o que havia acontecido, levando à prisão de seu pai.

Leia Também: Josef Fritzl vai ser libertado e transferido para uma prisão normal

- Publicidade -

Fique por dentro!

Para ficar sabendo de tudo que acontece em Campos e região, siga o nosso instagram @ClickCampos

ÚLTIMAS NOTÍCIAS