MEC se atrapalha de novo na divulgação de resultados, agora com o Prouni

PUBLICADO EM

- Publicidade -

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Depois de um erro na divulgação dos resultados do Sisu (Sistema de Seleção Unificada), o MEC (Ministério da Educação) voltou a ter dificuldade na entrega dos aprovados para o Prouni (Programa Universidade para Todos) nesta terça-feira (6).

- Publicidade -

Durante toda a tarde, o Portal Único de Acesso ao Ensino Superior ficou fora do ar e os candidatos não conseguiram acessar os resultados. A reportagem questionou o ministério, comandado pelo ministro Camilo Santana, mas não obteve resposta sobre a previsão de normalização do acesso.

Nas redes sociais, os candidatos reclamam da recorrência dos problemas de divulgação.

A falha e o atraso na entrega dos resultados do Sisu já haviam trazido impactos para as inscrições do Prouni, programa que concede bolsas a estudantes de baixa renda em instituições privadas de ensino superior. Em razão do atraso, o ministério decidiu prorrogar as inscrições do programa por mais um dia.

Apesar de darem acesso a universidades diferentes, as inscrições no Sisu e no Prouni estão interligadas. De acordo com o MEC, o candidato inscrito no Sisu pode se inscrever no Prouni. Porém, caso seja selecionado por ambos, tem que optar por um dos dois programas.

Há exatamente uma semana, na terça-feira (30), o MEC havia se programado para divulgar a lista dos aprovados no Sisu, mas alegou que devido a “problemas técnicos no sistema” precisou adiar a consulta teve que adiar a divulgação. Foi só no dia seguinte que os resultados foram publicados.

A falha frustrou estudantes. Alguns deles conseguiram acessar a página e viram que tinham sido aprovados nas universidades às quais se candidataram. Quando os resultados oficiais saíram, esses alunos descobriram que não conseguiram a vaga que haviam selecionado.

O MEC confirmou que houve uma divulgação indevida de resultados provisórios, que ainda não estavam homologados. De acordo com a pasta, os dados ficaram disponíveis por 25 minutos. A ocorrência está sendo apurada.

MINISTÉRIO TAMBÉM TEVE FALHA NO ENEM

Essas não foram as únicas falha no processo seletivo para o ensino superior na atual gestão de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Além dos estudantes que foram frustrados com a divulgação indevida dos resultados, cerca de 50 mil inscritos na prova do Enem, cuja nota é usada para acesso ao Sisu, foram alocados em locais distantes das suas casas. O edital garantia que os participantes fizessem o exame a no máximo 30 km de distância de suas residências. Estudantes relataram distâncias de mais de 40 km.

Ao admitir o problema, o ministério disse que a definição dos locais de prova foi feita pelo Cebraspe (Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos), vencedor da licitação para aplicação do Enem 2023.

Como houve relato de alunos que avaliavam desistir de fazer o exame, o MEC autorizou esses candidatos a fazerem a prova em outra data. Mas houve casos de estudantes que preferiram fazer o exame na data original e tiveram que percorrer 33 quilômetros.

Durante toda a tarde, o Portal Único de Acesso ao Ensino Superior ficou fora do ar e os candidatos n… 

- Publicidade -

Fique por dentro!

Para ficar sabendo de tudo que acontece em Campos e região, siga o nosso instagram @ClickCampos

ÚLTIMAS NOTÍCIAS