Erro médico: Hospital faz aborto em mulher grávida de 4 meses por engano

- Publicidade -

Médicos do Hospital Bulovka, em Praga, República Checa, realizaram um aborto em uma mulher grávida de quatro meses por engano no dia 25 de março.

Segundo o site Prahain.cz, a mulher “saudável”, que estava no hospital para um check-up de rotina, foi anestesiada e submetida a uma curetagem uterina que estava agendada para outra paciente.

A porta-voz do hospital, Eva Stolejda Libigerová, admitiu que um “evento adverso” ocorreu na unidade de Ginecologia e Obstetrícia e lamentou o sucedido.

“Pedimos desculpas à paciente e à sua família por este infeliz acontecimento e garantimos que faremos tudo para mitigar os danos tanto quanto possível e para compensá-la”, disse ela. Libigerová revelou ainda que, enquanto uma investigação ao caso está em andamento, “toda a equipe envolvida no incidente foi afastada do serviço”.

O erro teria acontecido devido a uma falha de comunicação. Ambas as pacientes eram cidadãs estrangeiras, asiáticas, que não falavam bem checo.

No entanto, o ministro da Saúde da República Checa, Kamal Farhan, disse que isso não serve de desculpa. “Embora o dinheiro não apague a dor da mulher, ela deve ser indenizada”, sublinhou aos jornais checos.

O aborto na República Checa é legal até às 12 semanas por qualquer motivo. Por razões médicas, pode ser realizado até às 24 semanas e por anomalias graves do feto em qualquer altura.

 

Fique por dentro!

Para ficar sabendo de tudo que acontece em Campos e região, siga o nosso instagram @ClickCampos

ÚLTIMAS NOTÍCIAS